quarta-feira, 25 de junho de 2014

Honra e Glória ao acordo de Dom Williamson e seus padres indomáveis.

Eis que Sua Excelência Reverendíssima o senhor Monsenhor Richard Williamson, o impávido e sereno guerreiro da Fé... 
cf: http://www.beneditinos.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=120:profissao-de-fe&catid=7:atualidades&Itemid=97

Faz algum tempo que não há nada de novo sob o sol da vaidade e do orgulho que ronda a dita resistência dos ditos fiéis que lutam contra a chamada Neo-FSSPX que em todos esses anos não vem mudando. Ao contrário da resistência e seus padres, que apesar de não terem nenhum sucesso entre os fiéis da FSSPX sempre conseguem uma boa platéia para seus shows pelo interior do Brasil. Em muitos desses locais onde as pessoas nunca tiveram nenhum contato com a FSSPX, claro somente assim para uma pessoa de boa vontade cair nos tangos intermináveis dos padres argentinos que insistem no conto do rei nu, ou seja, o dito acordo da FSSPX com Roma, que só os inteligentes podem ver, mas que podemos gritar hoje depois de tantos anos que nenhuma das ditas profecias se realizou e que mais, como o menino da fabula do rei gritou "O rei esta nu".

 Para os que estão cegos pelo orgulho e rebeldia, caso tão concreto na resistência, nenhuma prova nova deve bastar para tirar as escamas que cegam a vista desses pobres, diante de tantos erros e mentiras que sustentam o mundo daqueles padres que caluniam Dom Fellay e a verdadeira obra de Dom Lefebvre que e a FSSPX e não a resistência.

Nos últimos dias um vídeo bastante esclarecedor se tornou público, onde Dom Williamson. Monsenhor diz que seus padres da resistência são indomáveis, algo que já sabemos de muitos tempos e mais que isso, essa não é uma qualidade em nada admirável para religiosos, talvez para Blacks Blocs, mas na Tradição católica não..


Aí a pergunta que fica: o que quer mesmo a resistência? Pelo jeito o problema além de uma rebeldia para com a autoridade constituída  e querer constituir de cada um deles autoridades supremas, coisas que não podiam realizar enquanto ainda eram membros da Fraternidade São Pio X.  O que vemos nesse vídeo é Dom Williamson confirmar o que já disse em outros momentos, que não tem autoridade sobre os padres, que não quer isso, que temos que ser mais anarquistas:


" Eu acho que quanto mais nos aproximamos do fim dos tempos, mais os católicos terão que ser anarquistas – não no princípio, mas na prática."

http://borboletasaoluar.blogspot.com.br/2013/12/comentarios-eleison-padre-rioult-ii.html






Entre 49:25 e 50:43 podemos escutar em inglês:

Can you imagine that commanding Resistant priests is like trying to herd cats? 

Can you imagine? 

Is it unimaginable? 

In which case, is it worth trying if it is bound to fail? 

It may be better not to attempt than to attempt and fail. 

Some of you may think it would be better to attempt because it might succeed. 

I don’t have the authority. 

If…, if…, if… by some miracle, Pope Francis rang me up next week and said: 

—You Excellency, you and I have had our divergences, but right now I am authorizing you to found a society. You go right ahead for the good of the Church. 

—Holy Father, can I have that in writing? Do you mind if I come to Rome and get that with your signature? 

—Yes, of course. 

—Alright, then I’d be on the next plane to Rome. I’d be on the next plane to Rome! 

But without that, “row up a creek without a paddle”. 

And it is not a solution. 

So, in what is called the Resistance movement, you’re going to have a problem of authority. 

Get used to the idea.

Em livre tradução:


Você consegue imaginar que comandar padres da resistência seja o mesmo que pastorear gatos?

Você consegue imaginar?

Seria isso inimaginável?


Neste caso, valeria a pena tentar se se está destinado a falhar?


Pode ser melhor não tentar do que tentar e falhar.


Alguns de vocês podem pensar que seria melhor tentar porque isso talvez possa dar certo.Eu não tenho a autoridade.


Se..., se..., se... por algum milagre o Papa Francisco me ligasse semana que vem e dissesse:- Excelência, o sr. e eu tivemos nossas divergências, mas neste momento eu o estou autorizando a fundar uma Fraternidade]. Vá em frente, pelo bem da Igreja.


- Santo Padre, o sr. poderia colocar isso por escrito? O sr. se importa se eu for a Roma e obter isso com a sua assinatura?


- Sim, claro.


- Muito bem, então eu pegaria o primeiro vôo a Roma. Eu pegaria o primeiro vôo a Roma!


Mas sem isso, seria remar sem um remo!


E isso não é uma solução.


Então, naquilo que é chamado de movimento da Resistência, vocês vão ter um problema de autoridade.


Acostumem-se com a ideia.


(fim da transcrição)

Com essa história toda pensei que mais uma vez ia dar um novo filme:






Muitos poderão querer argumentar que o que Dom Williamson disse é passivo de interpretações, etc, etc... e de fato conhecendo a oratória peculiar dele. Mas o fato é que nem mesmo Dom Williamson, o bispo da resistência exclui completamente a ideia de um acordo com Roma e, mais que isso parece almejar que isso aconteça...

 O que aprendemos com tudo isso: que os acordos só são bem vistos quando feitos de Roma com Dom Williamson, Hernestito, Trincado e toda a família da resistência- que sempre almejou o poder e a alta cúpula da Fraternidade São Pio X e que hoje emprega qualquer meio, sejam os revolucionários ou liberais para conseguir manter a farsa do acordo que nunca aconteceu...

 Enfim, está mais do que na hora dos padres "indomáveis" da resistência se curvarem e se retratarem de tudo o que fizeram e do mal que estão causando, pois essa é uma causa falida, de frutos podres, baseada em uma mentira, rebeldia, vaidade e como vimos, altamente contraditória.